Textão

Você não precisa idealizar o amor alheio

casal

Eu não estou aqui para ditar verdades sobre relacionamentos alheios. Afinal, eu sou aquariana e se tem uma coisa que eu escuto com frequência é que eu tenho uma visão um tanto quanto gélida da vida a dois. Talvez eu tenha mesmo, não vou desmentir isso não. Entretanto, isso não vem ao caso. Recentemente, vários relacionamentos famosos vem chegando ao fim e a comoção nas redes sociais é inevitável. Eu não sou de escrever textos sobre o assunto, acho que nunca postei nada do tipo nos meus anos de blogosfera, mas dessa vez fiquei afim de deixar alguns pontos no ar e quem sabe ter uma conversa bacana com quem tirar um tempinho pra me ler aqui. Então vamos analisar o casal do momento: Angelina Jolie e Brad Pitt.

Brangelina – o começo

Aproximadamente uma década atrás, para quem não recorda detalhes, o Brad Pitt era casado com a Jennifer Aniston. Os dois se conheceram em 1998 e se casaram nos anos 2000. Eram o casal dos sonhos – aquele que todo mundo almejava ser um dia – e por muitos anos o casamento foi considerado um sucesso Hollywoodiano. Em 2005, com as gravações do filme Sr. e Sra Smith, Brad Pitt se envolveu com sua co-estrela Angelina Jolie. Não, a culpa não é dela. A culpa, meus caros, não cabe a nós discutir. Em 2006, Angelina engravidou de seu primeiro filho com Brad e a mídia foi à loucura. Brangelina estampava toda e qualquer revista de fofoca possível e imaginável. Depois de 7 anos juntos – considerados um dos casais mais poderosos da atualidade – eles noivaram em 2012 e posteriormente casaram em 2014. O resto vocês já estão carecas de acompanhar, eu presumo.

Team Jen

Se tem uma coisa que ainda divide opiniões na internet – e não deveria – é a maldita rivalidade, vale muito ressaltar que é inexistente, entre Angelina e Jennifer. Parem. Nenhuma é melhor ou pior do que a outra. Mas precisamos falar sobre o outro lado da moeda. Quando falo que não sou apaixonada por Brangelina e que sempre tomei as dores da Jennifer Aniston, muitas pessoas me olham torto como se eu fosse um alien rosa neon oriundo de Plutão. Como vocês se sentiriam nessa situação? Definitivamente não imagino, mas não deve ser nada agradável passar por um término tão público incluindo uma traição. Então sim, tenho empatia pela Jennifer. A vida seguiu? Sim. Ela aparentemente está num relacionamento muito melhor? Sim. Então ótimo, mas nada disso invalida o que ela passou.

Tá tudo bem não idealizar e romantizar o amor alheio

Você não é uma pessoa babaca por não se sentir triste ou ser indiferente ao divórcio alheio. E vice-versa. Se isso te acomete por algum motivo, vale a pena tirar um momento para entender o porquê. O que vemos na mídia, e até mesmo nos relacionamentos de pessoas mais próximas, é apenas uma fração do que realmente acontece. Não cabe a você ou a mim julgar nada.

Eu, particularmente, acredito em karma. O que você coloca no universo, de alguma forma, volta pra você. Se você não quer passar por uma situação, não faça outra pessoa passar por ela.

Comments

comments

Vale a pena ler também

3 Comments

  • Reply
    Lígia Coelho
    setembro 21, 2016 at 11:10 am

    Obrigada!!!!

    • Reply
      Patrícia Silva Néto
      setembro 21, 2016 at 11:33 am

      <3

  • Reply
    Lola
    setembro 21, 2016 at 6:48 pm

    legal teu ponto de vista sobre o assunto.. eu li tanta coisa sobre o divórcio deles e achei exageradíssima a reação de algumas pessoas, mas entendo. Entendo porque isso toca as pessoas de maneiras diferentes, de acordo com a bagagem, idealização do amor, etc e tal. A mim não tocou absolutamente nada, hahahaha. Antes eu gostava mais da Jolie, depois da Aniston, hoje dane-se… foi só mais um casal que separou e eu continuo firme e forte com fé no amor, rs!

  • Leave a Reply