Oficina de Aquarela da Ju Rabelo @ Kipling!

Photo 24-03-2015 23 30 12

OLAR! Quando eu soube que a Ju ia passar uma temporada aqui em SP promovendo o trabalho dela e realizando oficinas eu fiquei empolgadona e já saí comprando papel, tinta e todos os paranauês necessários. Só que quem disse que eu conseguia me inscrever? Em questão de minutos as oficinas lotavam por causa do número pequeno de vagas. Pensei até em montar um grupinho com as migas e fechar uma data com a Ju, mas acabei desistindo. Assim que eu aceitei a derrota, recebi um convite super fofo da Kipling pra participar de uma oficina de aquarela com a Ju lá no QG deles aqui em Sampa. Óbvio que eu aceitei e vou mostrar um pouquinho da minha tarde ~artística~ pra vocês aqui no blog.

kipling-oficina-aquarela-ju-rabelo-1

A iluminação deu ruim, o vidro tá refletindo mas eu vou postar essa foto mesmo assim. QUE COISA MAIS LINDA É ESSE MUSEU DO MACACO. As meninas tiveram que me aguentar surtando um tempão com essa macacada toda. Eu tenho uma coleção razoável (alguns que nem estão aí), mas não chego a tanto. Os meus preferidos dessa ~tchurma~ são o macaco Britney Spears e o Arnold. Muito amor!

kipling-oficina-aquarela-ju-rabelo-4
Foco na Britney sensualizando
Essa fofura vai ser lançada agora na Páscoa: JÁ QUERO
Essa fofura vai ser lançada agora na Páscoa: JÁ QUERO

Pensem em uma criança feliz: euzinha

Depois de muitas fotos com as migas, a Tia Ju finalmente colocou ordem no pedaço e fez a turminha se reunir pra começar a aprender um pouquinho sobre as técnicas da aquarela, como usar os materiais e tudo mais. Mas antes, olhem só que fofura o cantinho que foi preparado pra gente!

docinhos e suculentas pra animar a galera <3
docinhos e suculentas pra animar a galera <3
kipling-oficina-aquarela-ju-rabelo-14
Tia Ju sendo princesa
kipling-oficina-aquarela-ju-rabelo-19
Já que eu não desenho muito bem, fiquei treinando caligrafia HEUHEUHUEHUEHUEHUHEUHEUHE
kipling-oficina-aquarela-ju-rabelo-12
Ilustras fabulosas da Tia Ju *-*~
kipling-oficina-aquarela-ju-rabelo-21
Pausa pro lanchinho que tava muito amor <3
kipling-oficina-aquarela-ju-rabelo-22
Impossível não cantar junto

Lógico que depois do break rolou mais uma sessão de foto  com as lindas, né? Teve a Duds virando meme, euzinha brincando de O Clone, a Pri virando modelete, a Celle posando na parede fabulosa…Queria muito mostrar tudo aqui mas esse post já está imenso. Pra finalizar vou mostrar só mais uma fotinho da Tia Ju fazendo uma ilustra pra gente, ao vivo, que depois foi sorteada entre nós E EU GANHEEEEEEEEEEEEEI MWAHAHHAHAHAHHAHAHA. Patrícia 1, Inimigas 0.

kipling-oficina-aquarela-ju-rabelo-45

Eu postei grande parte das fotos no meu Flickr, pra quem tiver curiosidade. Eu também gravei alguns vídeos antes e durante a oficina, vou tentar editar e postar pra vocês em breve! Ainda tenho um pavor sincero de vlogar, mas vamos lá que uma hora sai! Ou assim eu espero. Alguém aí já participou ou vai participar das oficinas da Ju? O que vocês acharam?!

bisous patty

Freebie: Wallpaper Rêverie + Novidades!

caranova_aml

OLAR MIGOS, MIGAS E MIGUES!!!!!!!!!! Que saudade que eu tava de aparecer por aqui! Quando eu coloquei o blog em manutenção eu achei que o processo de mudança seria super rápido…só que não. Passei dias sem conseguir nem mexer no wordpress e resolvi tirar o atraso nesse fim de semana! Voilà, o AML está de volta em uma versão mais simples, mais recatada e mais amô. E é claro que eu não iria voltar sem algumas novidades, né? A mais óbvia de todas é que o blog agora será bilingue, yay. Não vai ser uma cópia fiel da versão em português, não vai ser traduzido via plugin e não sei se vai ter necessariamente o mesmo conteúdo – me deu vontade de fazer, e eu fui lá e fiz. Digo, tô fazendo ainda – como eu queria colocar logo essa versão aqui no ar, vou lançar a versão em inglês durante a semana porque ainda faltam alguns pequenos ajustes por lá. Criei uma página sobre os freelas que eu faço, to atualizando pouco a pouco as páginas internas e criando mais coisinhas pro blog – bora botar ordem nesse lugar! Tô com muitas ideias pra 2015 e quero colocar todas em prática por aqui – minha inner britney tá dando uma super força. #workbitch

Para entrar 100% no clima do novo layout, eu fiz um wallpaper pro meu PC e mostrei pra algumas migas no snapchat. A Kat – minha caloura da PUC (beijos miga, agora cê tá no blog) – curtiu e eu resolvi partilhar aqui com vocês porque eu sou muito legal, rs. Nele eu coloquei uma famosa frase francesa “Toujours rechercher la rêverie” que, em tradução livre para o português, significa algo como “Sempre persiga seus sonhos”. Meio motivacional, né? Acho que eu tava precisando desse empurrãozinho.

reverie
Clique para baixar e salvar: 1366 x 768 | 1680 x 1050 | Phone | Tablet

Bom, vou indo nessa porque tô na vibe de curtir essa noite geladinha assistindo seriado embaixo das cobertas. Eu mereço, vai. Amanhã eu termino de botar meu cantinho da interwebs em ordem! Espero muito que vocês tenham curtido a versão nova e o freebie bacanudo pra tunar o desktop. Me contem tudo ali nos comentários e tal que eu tô curiosíssima!

bisous patty

10 músicas que eu gostaria de ter gravado

Paolo NutiniOLAR! Quando vi algumas gurias fazendo esse meme incrível do rotaroots, eu admito que a vontade bateu e eu quis fazer também. Hoje passei o dia todo pensando nisso e inúmeras músicas me vieram em mente. Foi difícil escolher? Foi sim, mas tentei escolher as com que eu mais me identifico e realmente combinariam com o meu ~eu artístico~, tá? Vou colocar em ordem aleatória porque não dou conta de colocar por preferência, amo muito essas preciosidades.

1. “Gravity” – Sara Bareilles

Gravity foi escrita sobre a primeira grande desilusão amorosa da Sara Bareilles mas oh, poderia ser tranquilamente o hit da minha vida há alguns anos atrás. A melodia é simples, bonita e a letra é bem direta ao ponto – gosto assim, sem rodeios.

2. “The Story” – Brandi Carlile

Essa música é linda, só isso já seria motivo o suficiente. Mas na real eu adoro o mix de delicadeza e agressividade presente em todos os sentidos nessa música: na voz, na melodia e até mesmo na letra. Fora que a Brandi Carlile tem essa vibe singer/songwriter que eu acho muito fantástica e me identifico muitão.

3. “Waiting On The World To Change” – John Mayer

Quando eu era mais nova e acreditava mesmo que eu iria viver de música (RISOS) eu pensava muito em escrever músicas para engajar as pessoas, motivá-las e criar um vínculo de identificação. Acredito que essa música do mozão John fucking Mayer representa tudo isso e eu gostaria DEMAIS de tê-la gravado.

4. “Need You Now” – Lady Antebellum

Beber cazamigas, voltar pra casa e continuar bebendo começar a remexer nas memórias do passado: quem nunca? Quem nunca fez cagada com um celular em mãos? Migos e migas, não sei vocês mas eu já e muito. E é claro que essa música poderia ser minha…mas infelizmente não é.

5. “Won’t Go Home Without You” – Maroon 5

Não sei porquê, mas acho que essa música daria um dueto muito lindo e uma bela fanfic (old habits die hard, meus caros). Mozão Adam, se quiser transformar essa canção em um dueto: pense em mim chore por mim e me liga que eu topo, seu lindo!

6. “Stigmatized” – The Calling

“Camino Palmero” é um daqueles CDs que:
– Eu me arrependo de não ter mais a cópia física;
– Posso escutar todo dia que não consigo enjoar;
– Alguma música sempre vai fazer sentido na sua vida.
Acreditam que essa preciosidade vai completar 14 anos esse ano? POIS É…se você lembra toca aí porque estamos velhos. E desse álbum aí a que eu mais gostaria de ter escrito é Stigmatized por motivos de música mais maravilhosa do CD e quiçá de toda a carreira do The Calling e do Alex Band.

7. “Impossible” – Shontelle

Mais uma música sobre dramas amorosos sim porque só a minha adolescência já dá mais material do que a vida da Taylor Swift (e olha que ela nem foi tão movimentada quanto a dela). Acho os vocais da Shontelle muito sensa, tenho recalque e queria sim ter essa voz gravado essa música.

8. “Not Alone” – McFly

Não poderia faltar música do McFly aqui né, queridinhos. Não é a minha favorita porém é uma das letras mais bonitas e um dos vocais mais arrepiantes do Jones. Ficaria contente só de ficar ali no lugar do Fletcher fazendo backing vocal pra ele.

9. “Chandelier” – Sia

A Sia é uma compositora e vocalista do caralho. FIM. Ainda tô chocada que essa música perdeu em todas as categorias em que concorreu no Grammy. Queria gravar assim, nessa versão no piano mesmo.

10. “Last Request” – Paolo Nutini

AFGHJLIHUEWUIOPOJIUHYGTAFSTTYSHJAKLSLA. Não tenho palavras pra essa música. Desculpa gente, deu tilt. Só sei que quero gravar e pronto.

E aí, galerous…o que vocês acharam da minha seleção? Quais músicas vocês adicionariam ou tirariam dessa lista? Me contem tudo! Oh, em breve o AML vai entrar em manutenção porque eu não vou aguentar esperar mais um mês e meio pra montar a versão nova não, tá?! Bisous et à bientôt!

Este post faz parte do Rotaroots - a rotation mais nostálgica da blogosfera. Para ler todas as blogagens coletivas do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

bisous patty

Resenha: Você Tem Sete Mensagens, Stewart Lewis

SAMSUNG CAMERA PICTURES

OLAR MIGOS, MIGAS E MIGUES! Essa foi uma das minhas leituras pro desafio no mês de janeiro e muita gente ficou curiosaur e pediu resenha do livro. AHÁ! Demorou, eu sei, mas a resenha saiu. De cara esse livro não chama atenção (pelo menos não a minha) mas quando comecei a ler…

Título: Você Tem Sete Mensagens (You Have Seven Messages)
Autora: Stewart Lewis
Editora: Gutenberg
Ano: 2013
Páginas: 256
Nível de amor: ♥♥♥♥
Onde comprar: Livraria Saraiva*

A história é sobre Luna, uma adolescente que perdeu a mãe em atropelada por um táxi nas ruas de Nova York há um ano atrás. Um dia, Luna resolve ir ao estúdio em que sua mãe trabalhava para recolher seus pertences e fica surpresa ao encontrar o celular dela com sete mensagens de voz não ouvidas. Ao escutar a primeira mensagem, ela fica curiosa e intrigada e resolve investigar detalhadamente as pistas deixadas. Para isso, ela conta com a ajuda de seu vizinho, Oliver – o boy que ela tem uma quedinha monstra. Juntos eles descobrem vários segredos e outros fatos sobre a noite da morte da mãe de Luna.
Migos, cês num sabem o tempo que esse livro rolou na minha estante. Comprei meio que pra aproveitar a promoção na bienal e tal, só. A diagramação é bem normalzona, a capa também, a sinopse não é das mais chamativas…mas há algo na narrativa do autor que prende MUITO a atenção. Eu comecei a ler em uma madrugada e terminei na manhã seguinte!
Na minha opinião, o auge do livro está exatamente na forma em que o autor aborda assuntos tão delicados e comuns a nossa realidade: conflitos familiares, ansiedade, paixão, traição…o que parece um mistério simples, se desenvolve em diversas facetas a cada página lida. O livro foge um pouco do estereótipo do gênero YA (jovens adultos) e isso é maravilhoso para sair da rotina.
Por que não levou todo meu amor? O autor desenvolve histórias paralelas interessantes, como a da família de Oliver, mas pouco as explora. E isso me incomodou um tantinho. Poxa, não custa nada aprofundar os outros personagens – principalmente quando eles são tão bacanas e cativantes assim!

E aí, alguém já leu esse livro também? O que acharam? Bom, eu gostei e pretendo procurar outras obras do autor! Oh, o meu update com as leituras do mês de fevereiro deve sair em breve, prometo. Bisous et à bientôt!

* Comprando através desse link você me ajuda a comprar mais livros <3

bisous patty

A incrível tipografia de Born & Raised

Born_and_Raised

OLAR! Ontem eu embarquei em uma longa pesquisa pela interwebs sobre tipografia, lettering e afins – primeiro porque é uma arte que me fascina e também porque pretendo incorporar algo do tipo em alguma versão futura do blog. Em uma das mil abas que estavam abertas no navegador eu encontrei um vídeo MUITO SENSACIONAL sobre o processo de criação da capa do CD “Born and Raised” do John Mayer (que você pode escutar depois no Spotify clicando aqui é bom demais).

David Smith é um designer inglês que trabalha, principalmente, com vidros ornamentados. Isso mesmo – aquela vibe super old school, bem elaborada e com cara de propaganda vintage. O cara não é fraco não e o portfólio dele é de tirar o chapéu: John Mayer, Kings of Leon, Jameson…enfim, a moral da história é que eu fiquei muito impressionada com esse trabalho e fiquei com vontade de partilhar com vocês. E eu espero que vocês curtam assistir tanto quanto eu!

Imagina só que louco ter uma arte dessas emoldurada em algum cômodo da casa? Eu amaria demais, mas acredito que não deva ser nada barato. Então bora seguir sonhando, migos. Bom domingo pra vocês! Bisous et à bientôt.

bisous patty